728x90 AdSpace

  • Últimas Notícias

    Tecnologia do Blogger.
    sexta-feira, junho 22

    DM

    Quando deu a louca e comecei a correr, já carregava comigo dois problemas: joelho podre e excesso de peso. Os dois, por si só, não combinam. Imagina correr desse jeito. Mas, against all odds (desculpem, AMO essa música, não resisti), e, claro, graças a um bom acompanhamento profissional, tudo melhorou. Ok, a gente olha assim e não percebe muito, mas melhorou, tá bom?!

    Emagreci um pouco. Não foi grandes coisas, mas trouxe algum resultados, comprovado pelas roupas, que não tenho que comprar novas e de número maior há tempos. A prova do joelho é que foi incrível, e veio na forma de uma RM - neste momento o leitor pensa: "ela errou a referência ao título aqui no texto"; eu peço paciência, caro leitor afobado, porque meu pace não é lá grandes coisas.

    A questão, queridos, é que estou no DEPARTAMENTO MÉDICO ~taí o que os apressadinhos queriam~ por conta dos exames de rotina que opto por fazer nas férias. Este ano, como as viagens seriam curtinhas, resolvi aumentar a lista de consultas e incluí o ortopedista. Meu pé, eu sentia, não estava ainda essas coisas (tá desatualizado? torci o pé num buraco, naquela rebarbinha de Carnaval, tratei, mas...). Já que estava na chuva, resolvi me molhar todinha, com estilo: pedi uma ressonância magnética (olha a RM aê, gente) do joelho, porque desde 2008 não fazia uma nova.

    Parei todas, eu disse TODAS as atividades físicas durante 15 dias. Já vinha treinando meia-boca desde a liberação do orto que consultei depois do Circuito Athenas, quando tive de terminar os 10k caminhando... quero dizer, mancando... pela dor no tornozelo, que voltou com força total.  Resultado: joelho doendo, perna inchada. Ressonância debaixo do braço, pavor exalando, voltei ao orto. Veredicto: pare de correr e vá fazer hidroginástica.

    Nocooo, que eu faço isso com a minha vida! Tenho pavor das, e horror às velhinhas loucas e mal educadas que habitam a piscina da academia. Juntar-me a elas? Nem morta!

    A saída: procurar um profissional da área de esporte que me desse um alento ou jogasse a pá de cal de uma vez por todas. E cá estou eu, então, no DM, ainda sem previsão de retorno, porque o fisioterapeuta suspendeu corrida, spinning e ainda meteu o bedelho na minha série de musculação. A promessa é de voltar quase zerada pras pistas e, assim, poder aumentar o volume dos treinos, como eu almejo. Sabem como é: o tamanho do meu sonho é de 42.195 metros...
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Item Reviewed: DM Rating: 5 Reviewed By: Débora Thomé
    Scroll to Top