728x90 AdSpace

  • Últimas Notícias

    Tecnologia do Blogger.
    sexta-feira, agosto 10

    Pre maratona

    Não, não. Nem estou confundindo o novo acordo ortográfico nem nada. Tampouco iniciei a fase de treinamento para os famosos 42k. Pior: se você acha, mesmo, que esqueci do acento agudo na primeira palavra que dá título a este post, mon ami, você não entende nada de corrida e não precisa chegar ao final disto aqui (a não ser por curiosidade).

    Trata-se da minha mais nova fixação psicótica: Steve Roland "Pre" Prefontaine.
    O original, Jared Leto e Billy Crudup: Pre em três tempos
    Em um dia, apenas um dia, assisti a um documentário e dois filmes sobre a breve vida desse bólido americano das pistas - o James Dean da corrida. Bonitão (para o padrão anos 1970), rebelde e morto, aos 24 anos, em um acidente de carro, pilotando um conversível dourado. Dourado como a medalha olímpica que nunca conseguiu ter pendurada no pescoço.

    O emblemático uniforme de Pre
    Pequeno, magro, com uma perna mais curta que a outra, Pre adorava esportes. Tentou o baseball e o futebol americano, sem sucesso. Era ágil. Encontrou seu destino nas pistas de corrida. Era, na verdade, uma rara combinação de talento, disciplina e determinação, o que o levou a deter recordes americanos em sete distâncias, dos 2000 aos 10000 metros, e estabeleceu 15 recordes olímpicos para os Estados Unidos.
    Steve Prefontaine foi um corredor corajoso. Seu objetivo era superar seus próprios limites, bater seus próprios recordes e, obviamente, chegar na frente. Se possível, largar na frente e liderar todo o percurso também. As corridas eram, por causa disso tudo, um verdadeiro show, com o estádio da Universidade do Oregon, celeiro de atletas americanos naquela época, principalmente no atletismo, lotado de fãs que gritavam "GO PRE" em uníssimo. Devia ser arrepiante!

    Pre corria bonito. Rápido, o torso ereto, os braços quase não balançavam, pisadas firmes e rápidas, parecia nem tocar o chão. O semblante era geralmente tenso, sem ser contorcido. Pura concentração; Chegava com os olhos arregalados, buscando o relógio no centro da pista, que geralmente apontava um novo recorde.
    A passada (hoje, ultrapassada) da fera, quadro a quadro
    É de chorar você parar para pensar que um cara desses só teve uma única chance de disputar o ouro olímpico e perdeu. Perdeu até o bronze. Tinha muita vontade, mas só 21 anos e, ainda por cima, correu na famigerada Olimpíada de Munique, após o assassinato de 11 atletas iranianos que foram feitos reféns por um grupo terrorista palestino, o Setembro Negro, em 1972. Não teve chance de enfrentar o finlandês Lasse Viren em Mongtreal, que repetiu o ouro em 1976.

    Em memória de Steve Prefontaine, Coss Bay, sua cidade natal, realiza, há 24 anos, uma corrida de rua para homenagear sua lenda. O percurso, de 10k, tem chegada na pista de atletismo da escola onde Pre estudou e correu pela primeira vez. No terceiro sábado de setembro - uma bela desculpa para, um dia, conhecer o Oregon!
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Item Reviewed: Pre maratona Rating: 5 Reviewed By: Débora Thomé
    Scroll to Top